Hiponatremia

Introdução
O sódio (Na+) é um eletrólito (mineral) importante para a transmissão de sinais entre as células assim como para o seu funcionamento, sendo mais abundante nos líquidos extracelulares. O Na+ também é importante na regulação da água dentro e fora das células.

O que é hiponatremia
Hiponatremia é o termo médico usado quando os níveis do Na+ no sangue estão inferiores ao normal, isto é, inferiores a 135 mEq/L (<135 mmol/L). Na prática clinica é a mais frequente alteração nos electrólitos.
A hiponatremia é um desequilíbrio hídrico, com um excesso relativo de água corporal em relação ao valor de sódio. É geralmente associada a uma perturbação na hormona que regula o balanço hídrico, a vasopressina (também chamada de hormona antidiurética). Nas pessoas com este problema, provocado por um ou mais fatores, o corpo conserva água em demasia o que vai fazer com que haja uma diluição de Na+ no sangue. Também pode ocorrer hiponatremia por aumento da perda corporal de Na+.
A hiponatremia pode ser classificada consoante os níveis analíticos de Na+ em ligeira concentração de sódio no sangue entre 130 e 135 mEq/L (130-135mmol/L), moderadaconcentração sérica de sódio entre 125 e 129 mEq/L (125-129mmol/L) ou grave concentração sérica de sódio < 125 mEq/L (<125mmol/L). Também pode ser classificada consoante o tempo de instalação: aguda quando o tempo de instalação é inferior a 48 horas ou crónica quando a hiponatremia existe há mais de 48 horas.

Sinais e Sintomas
A hiponatremia pode levar a um variado conjunto de sintomas e sinais, desde ligeiros a graves, nomeadamente, perturbações da compreensão, défice de concentração, confusão, vómitos ou náuseas, dor de cabeça, cansaço, fraqueza muscular, espasmo muscular, agitação, irritação, tonturas, convulsões e coma.
Também podemos dividir a hiponatremia de acordo com os sintomas em hiponatremia “moderadamente sintomática” (se sintomas moderados como náuseas sem vómitos, confusão, dor de cabeça) ou “gravemente sintomática” (se sintomas graves como vómitos, dificuldade cardiorrespiratória, sonolência profunda e anormal, convulsões e coma).

Causas
Doença cardíaca, renal ou hepática: Doenças que podem provocar uma acumulação de água corporal o que vai fazer com que haja uma diluição do Na+ no sangue, reduzindo assim o seu valor.
Fármacos: Os diuréticos, nomeadamente, os diuréticos tiazidicos, são fármacos que têm como efeito colateral a hiponatremia, representando uma frequente causa desta condição clínica. Os doentes com diabetes insípida, uma doença resultante da falta de hormona antidiurética (ADH), se tomarem a ADH em excesso podem desenvolver hiponatremia. Para mais exemplos de fármacos, ver a tabela 1. Excesso de ingestão de água: Atletas quando fazem exercício físico intenso (como maratonistas) e bebem demasiada água; Consumidores de ecstasy ficam com sensação de sede e ingerem água em excesso; Polidipsia primária que é causada por uma anomalia do centro regulador da sede ou pode ter origem em doenças psicossomáticas e que leva a uma ingestão excessiva de líquidos.
Perda de sangue: Ex. Após acidentes graves.
Quadro grave ou crónico de diarreia ou vómitos: Pode provocar perda de fluidos e electrólitos do corpo, nomeadamente Na+. Doenças endócrinas: Hipotiroidismo e Insuficiência da suprarrenal (Doença Addison).
Síndrome de Secreção Inapropriada de Hormona Anti-Diurética: Nesta síndrome ocorre elevação dos níveis da ADH o que faz com que o corpo acumule água, em vez de excretá-la na urina. As principais causas são doença do sistema nervoso central, doença maligna, alguns fármacos, traumatismo e cirurgia cranianos recentes.
Gravidez: a libertação da hormona placentária beta-HCG durante a gravidez pode ser responsável por um reajuste na libertação da ADH que pode induzir uma queda nos níveis de Na+ na ordem dos 5 mEq/L.

Alimentação hipossalina

Diagnóstico
O diagnóstico de hiponatremia é feito através de uma análise ao sangue para dosear o valor de Na+ complementado com uma análise à urina. Para se saber qual a causa deve ser feita uma avaliação clínica completa, assim como pode ser necessário a realização de outros exames auxiliares de diagnóstico.

Tratamento
O tratamento depende da causa da hiponatremia e deverá ser dirigido à mesma. Este pode incluir restrição da quantidade de ingestão hídrica, necessidade de fazer soro salino endovenoso ou, por exemplo, parar ou ajustar a dose de determinado fármaco. A velocidade de correção da hiponatremia depende do valor de Na+, do tempo de instalação da hiponatremia e da sintomatologia associada.

Tabela 1. Principais fármacos associados a hiponatremia
Mecanismo Fármaco
Análogos da ADH Vasopressina
Desmopressina
Oxitocina
Estimulantes da secreção de ADh Carbamazepina
Clorpropamida
Antidepressivos (ex.: amitripitina)
Agentes antipsicóticos
Narcóticos
Clofibrato
Isofosfamida
Efeito aumentado da ADH sobre o rim Anti-inflamatórios não esteróides
Clorpropamida
Ciclofosfamida
(1) A desmopressina pode causar hiponatremia. São fatores de risco para hiponatremia associada à desmopressina: fibrose cística, doença renal, insuficiência cardíaca, extremos de idade, ingestão hídrica inapropriada, dose superior à recomendada, uso de outros fármacos que podem levar ao aumento da sede ou ao desenvolvimento de síndrome secreção inapropriada de ADH.