Recomendações para ecografia e citologia tiroideias no contexto atual da pandemia de COVID-19

RECOMENDAÇÕES DA SOCIEDADE PORTUGUESA DE ENDOCRINOLOGIA E DOS SEUS GRUPOS DE ESTUDOS DA TIROIDE E DA CIRURGIA ENDOCRINA, PARA A PRÁTICA DE ECOGRAFIA E CITOLOGA TIROIDEIA ECO-GUIADA NO CONTEXTO ATUAL DA PANDEMIA DE COVID-19

O Plano de Contingência implementado pela Direção Geral da Saúde permitiu aplanar a curva de infeção por SARS-Cov2/COVID-19 em Portugal.

Deste facto resultou a desejada preparação do Sistema Nacional de Saúde para a pandemia e a segurança de uma resposta eficaz no diagnóstico e tratamento da COVID-19. Deparamo-nos na atualidade com a necessidade de prolongar e adaptar as medidas de contenção.

Urge implementar medidas de segurança para a retoma de procedimentos de diagnóstico e terapêutica não urgentes, que tinham sido suspensos na fase mais precoce do combate.

Este é o caso da ecografia e da citologia eco-guiada na abordagem diagnóstica à doença nodular tiroideia. Ainda que só raras vezes tenha caracter de urgência, esta fase de retoma gradual de atividade clínica presencial exige a redação de recomendações para a sua realização com a necessária segurança dos profissionais e utentes.

Recomenda-se:

  • Os utentes devem ser agendados a intervalos não inferiores a 30 minutos, sem marcações sobrepostas, de forma a não haver acumulação de utentes em sala de espera.
  • À entrada no serviço, a cada utente deve colocar máscara cirúrgica e efetuar desinfeção as mãos.
  • Deve ser alvo de um inquérito sumário rastreando sinais/sintomas compatíveis com COVID-19, incluindo avaliação da temperatura. Se presentes, o procedimento deve ser suspenso/adiado. Não havendo suspeita ou contexto epidemiológico, não se justifica a execução prévia de pesquisa de SARS-Cov2 por RT-PCR.
  • O utente deve entrar na sala de citologia com mãos desinfetadas, sem adornos no pescoço, com máscara cirúrgica e bata descartável.
  • Médico e enfermeiro estarão equipados com os seguintes Equipamentos de Proteção Individual (EPI): máscara FP2, bata descartável, touca/barrete, viseira e luvas descartáveis não esterilizadas.
  • Todas as superfícies (maca, ecógrafo, sonda), deverão ser desinfetadas após cada procedimento.
  • O procedimento deve ser tão breve quanto possível, pelo que todos os registos informáticos devem ser efetuados sem a presença do utente

 

 

Porto 25 de maio de 2020

 

Cláudia Freitas

(Coordenadora do Grupo de Estudos da Tiroide da SPEDM)

 

João Capela

(Coordenador do Grupo de Estudos da Cirurgia Endócrina da SPEDM)

 

Bibliografia:

Norma nº 007/2020 de 29/03/2020 da DGS Prevenção e Controlo de Infeção por SARS-CoV-2 (COVID-19): Equipamentos de Proteção Individual (EPI)

Colégio de Endocrinologia e Nutrição. Informação no contexto da pandemia covid-19, Abril de 2020

Colégio de Radiologia Normalização Progressiva da Actividade Radiológica, Abril de 2020

Considerations for Thyroid Fine Needle Aspiration (FNA) Biopsies During the COVID-19 Pandemic Ming Li et al.  Clin Thyroidol 2020;32:156–158