Newsletter da SPEDM

Mensagem da Equipa Editorial - Paula Freitas

Mensagem da Equipa Editorial
Ed.
Janeiro 2024

Em primeiro lugar, quero relembrar que a nossa especialidade se chama Endocrinologia e Nutrição.

Nesta newsletter 3 colegas vão abordar 3 aspetos relacionados com a Nutrição e a Endocrinologia: 1) Perspetiva histórica; 2) Sustentabilidade e 3) Políticas de Saúde. 

A Nutrição Humana é um campo da Medicina que exige um conhecimento interdisciplinar para coadjuvar na prevenção e tratamento de várias doenças. A orientação nutricional é um dos pilares do tratamento e acompanhamento do doente com doenças crónicas como a diabetes (com as particularidades do tipo 1, contagem de hidratos de carbono, proteínas e lípidos), hipertensão arterial, obesidade (com as particularidade do pré e pós-cirurgia bariátrica), dislipidemia, doença renal e hepática crónicas.  Este conhecimento dota o Endocrinologista de competências diferenciadoras das demais especialidades médicas.

A Nutrição Clínica é uma das pedras basilares da Saúde e esta relação da alimentação com a saúde é conhecida há muito tempo. São atribuídas a Hipócrates, nascido em 460 a. C. frases como “Dos alimentos farás a tua medicina”, “Que o teu alimento seja o teu medicamento” e “Somos aquilo que comemos”.

Numa perspetiva histórica, durante muitos anos os Endocrinologistas desempenharam um papel central e único na área da Nutrição, nomeadamente no meio hospitalar. O Endocrinologista, Dr. Emílio Peres, com quem tive a honra de trabalhar e com quem muito aprendi, é considerado o "pai dos nutricionistas portugueses" e integrou o Grupo de Trabalho Instalador do Curso de Nutricionismo, mais tarde Faculdade de Ciências da Nutrição da Universidade do Porto, tendo inaugurado o curso em fevereiro de 1977, com a sua aula de Alimentação Racional.

As duas últimas Direções do Colégio de Endocrinologia e Nutrição da Ordem dos Médicos, das quais fui membro, trabalharam muito nesta área. Foram incluídas no novo programa de formação da especialidade de Endocrinologia e Nutrição a valorização de competências em Nutrição e também foi criado um grupo de Reflexão sobre a Nutrição e Endocrinologia. Realço apenas 3 medidas de longo prazo propostas que propusemos neste grupo de Reflexão:

1) Capacitar Endocrinologistas no âmbito nacional para formação futura de médicos internos em Portugal na área da Nutrição;

2) Fomentar o interesse pela Nutrição enquanto competência da Endocrinologia;

3) Padronizar a formação em Endocrinologia e Nutrição contemplando os conhecimentos, pelo menos básicos em Nutrição, de forma mais homogénea durante a formação especializada.

Eu tive também o grato prazer de pertencer à Comissão Instaladora da Competência em Nutrição Clínica da Ordem dos Médicos que constituiu um marco fundamental indispensável ao desenvolvimento desta área no âmbito médico e foi criado o 1º Colégio da Competência em Nutrição Clínica da Ordem dos Médicos. Neste Colégio, temos como prioridade fazer com que os médicos adquiram as ferramentas que os capacitem a tomar as melhores decisões para os seus doentes nesta área da Nutrição.

Todos os médicos devem ter conhecimentos sobre Nutrição, e os especialistas em Endocrinologia e Nutrição ainda mais. Garantir que todos os Endocrinologistas têm a formação e competências centrais sobre Nutrição é uma missão pela qual todos devemos lutar.